Terça-feira, 28 de Agosto de 2007
Com quase um ano... Reflito sobre minha vida

     Já lá vai quase um ano que vim para este mundo... E agora nesta altura de maior calor, altura de verão, olho para lá para fora do meu cantinho e vejo algo que, apesar de quase apagado, ainda se encontra presente na minha memória.

     Sei que não sou um verdadeiro cão de raça. Não tenho vergonha nenhuma de dizer que nasci de pais de diferentes raças, no qual um era Boxer e outro era Labrador Retriver ... Como não me lembro bem acredito que devo ter herdado a minha forte característica de labrador a partir da minha mãe... Mas não sei, pois apenas estive com companhia durante uns meses com uns humanos, os quais não tenho agora nenhumas saudades e fui ABANDONADO.

     Sim, não tenho vergonha nenhuma de o dizer... Fui Abandonado, como muitos como eu foram e são... por todas e as mais variadas razões...

     É verdade que já não me recordo muito desses tempos de abandono, nem quanto tempo fiquei abandonado... mas senti isso na pele e cada vez que olho lá para fora e vejo outros como eu do lado de lá, sem dono, penso... que já estive também daquele lado... mas que tive a sorte de, ao entrar nesta casa a qual agora chamo minha, em vez de ter sido recebido com pontapés e vassouradas... fui recebido com um abraço, comida e água... mesmo que fosse comida de gatos... pois isso já me lembro bastante bem... pois a fome nunca esquecemos...

      Lembro-me bastante bem que, quando cheguei a esta casa que agora chamo minha, entrei com muito medo, muito sorrateiramente e com muita fome e sede... Não comia nem bebia à mais de 3 dias e como era muito novo, com perto de 4 meses, precisava de me alimentar.

     Assim que a minha actual dona me viu, foi logo buscar um pouco de comida para gatos, que agora sei que é da minha amiga Minuche  e um pouco de água... Como me soube bem aquela refeição... que há muito não tinha... Foi a partir daí que eu comecei a dizer que me tinha calhado a sorte grande, e tinha sido verdadeiramente adoptado.

    Agora cresci, fui ao veterinário, ele picou-me uma série de vezes para tomar vacinas, implantou-me um instrumento que me permite ser identificado em qualquer local do país e do mundo, os meus donos tem cuidado sempre de mim e agora posso dizer que sou bastante feliz... Mas continuo a dizer... Olho lá para fora e vejo aquilo que eu era antes... um Cão Abandonado. E tantos que há por ai... Tantos que me dá muita pena e tristeza ... Como é possível haver pessoas que abandonem assim os seus animais? Porque é que não temos autoridades competentes e leis que protejam mais as verdadeiras e duradouras adopções e condenem estes maus tratos a animais de companhia? É que, nós na rua conseguimos sobreviver... é verdade que sim... mas sobrevivemos pela lei da Selva... tal como a Natureza nos ensinou... Em matilha, destruindo caixotes de lixo para obter alimento, tendo a infelicidade de ser atropelados e podendo não só causar acidentes a quem anda na estrada e assim causar mais prejuízos, para além de contribuir para um crescimento de animais na estrada abandonados e assim um crescimento de más condições de saúde e risco de epidemias, pois, como todos os seres vivos, se não formos bem cuidados, poderemos ser um veículo de diversas doenças...

    Aqui ficam alguns dos meus "amigos de companhia que ainda estão por ai à espera de uma melhor sorte para a sua vida, pois há por ai muitos como eu que tem a verdadeira "vida de cão".

     E infelizmente são muito mal tratados... Não é que aconteça nos locais onde estão temporariamente alojados para depois ser adoptados, pois quando depois são adoptados têm a esperança de que desta vez é que é... Mas já há muitos como este que perderam a esperança de ter uma verdadeira família de adopção e quando são adoptados são uns autênticos marginais, pois cresceram assim...

     É por isso que gostava que as pessoas olhassem para nós não só com a intenção de terem em casa uma coisinha bonita e fofinha, mas também com o intuito que somos seres vivos como os humanos, que devemos respeitar e ser respeitados... Quando se adopta alguém como eu já se deve ter em conta que podemos ter os nossos melhores dias e os nossos dias menos bons, tal como acontece com os humanos...

    Não somos de peluche... Somos vivos... Sentimos e vivemos como todos...

    Não abandonem os vossos animais de estimação... Não se esqueçam que nós nunca vos abandonamos...

sinto-me: Feliz
publicado por Shadow_Fighter às 19:03
link do post | comentar | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
.posts recentes

. Com quase um ano... Refli...

.arquivos
.tags

. todas as tags

.favoritos

. Códigos, abreviaturas, es...

.links
.as minhas fotos
.Entradas no meu canto...
blogs SAPO
.subscrever feeds